DICAS DE FRENAGEM COM UMA HARLEY-DAVIDSON… SEM SUSTOS

A segurança está para o motociclista assim como a pipoca para as sessões de cinema, e por isso é assunto constante no R3Mototrip.

Frear uma moto com controle, sem perder a trajetória ainda que em situações adversas, é essencial para a segurança do (a) motociclista e carona, e pode ser uma missão difícil se o condutor não possuir o conhecimento teórico necessário – e potencializado se a moto em questão pesar algo na casa dos 300 quilos. Pensando nisso, a Harley-Davidson preparou algumas dicas de frenagem, tanto para pilotos experientes quanto para novatos no asfalto.

 

Dicas de frenagem de motocicletas são sempre bem vindas, e podem ser ainda mais úteis se você tiver que parar uma moto com mais de 300 kg - caso da H-D Road King Classic

 

Dicas básicas de frenagem básica

Em linha reta

  • Manter a moto na posição vertical (sem inclinação) e apontar para a frente, conforme os freios dianteiro e traseiro são acionados, simultaneamente, de forma suave e controlada.
  • Reduzir a marcha conforme vai diminuindo o ritmo, até chegar à primeira marcha, para uma parada completa da motocicleta.
  • Manter a cabeça sempre erguida e os olhos  para a frente, não podendo nunca olhar para baixo, na parte dianteira da moto.
  • Não ter medo de utilizar o freio dianteiro é importante, já que ele responde por cerca de 70% do poder de frenagem de uma motocicleta. Ao se aproximar de uma curva, um cuidado importante é diminuir a velocidade antes de começar a virar.

 

Sistema de freios da Harley-Davidson Road King Classic

Parada de emergência

O mais importante de tudo é não entrar em pânico e manter a calma, analisando a situação, a circunstância e todas as possibilidades existentes.

A primeira coisa a ser feita é acionar os freios suavemente, mas com firmeza.

Caso a roda traseira trave, o manete de freio traseiro não deve ser solto em hipótese alguma. Manter a moto apontada para a frente é essencial para deixar a motocicleta parar. Soltar o freio traseiro durante uma derrapagem pode causar um acidente grave.

Nas motos sem ABS, caso a roda dianteira trave, o freio deve ser solto imediatamente e acionado novamente na sequência.

Quando a motocicleta finalmente parar, é preciso verificar através dos espelhos retrovisores o tráfego nos arredores e se preparar para acelerar e sair do caminho, se necessário.

Motos maiores da marca, como a CVO Street Glide, contam com dois discos na roda dianteira

Fatores que afetam a Frenagem

Sempre que a superfície de uma estrada não for a ideal (molhada, oleosa ou suja), a capacidade de parar da moto é comprometida. Além disso, freios molhados também aumentam a distância de parada. Manter as velocidades estabelecidas e estar pronto para iniciar a frenagem mais cedo são atitudes que auxiliam o piloto a evitar acidentes.

Caso tenha garupa ou alguma carga é preciso lembrar que a distância necessária para uma frenagem aumentará por conta do maior peso da motocicleta.

Pneus carecas e freios desgastados ou mal ajustados podem limitar drasticamente a capacidade de frenagem de uma moto. Manter esses e outros sistemas vitais bem conservados e a revisão geral da motocicleta em dia são tarefas simples e de grande importância.

Dicas para pilotos mais experientes

Algumas dicas de técnicas avançadas para motociclistas que já possuem ampla experiência com suas máquinas também podem abrir os olhos em situações difíceis. Frear em uma curva gera uma demanda maior de tração dos pneus e aumenta a possibilidade de que uma ou as duas rodas travem. Em uma curva, é quase certo que travar uma roda causará uma perda de controle e, por isso, é sempre melhor evitar frear em curvas, se houver essa possibilidade. Se não for possível, há duas estratégias a serem seguidas:

1. Quando as condições permitirem, dependendo da velocidade, da nitidez da curva, da largura das faixas e do nível do tráfego, a moto deve ser endireitada na curva antes de os freios serem acionados. Em seguida devem ser aplicadas as mesmas técnicas para parar em linha reta.

2. Se não puder evitar virar enquanto estiver parando ou reduzindo a velocidade, os freios devem ser acionados da forma mais suave possível, fazendo com que não haja reações bruscas de todo o sistema nessa condição.

3. Frear vai fazer com que a motocicleta retome seu eixo e siga adiante, por isso torna-se necessário aplicar uma força extra na manopla, sem esquecer do princípio do contra-esterço das motocicletas.

Recomendações da H-D

Para conhecer melhor os limites da motocicleta e seu funcionamento, como o sistema de freios ABS, a HD estimula os condutores a realizarem testes – em locais e de forma segura, claro – abordando situações reais. A marca lembra que o ABS é acionado apenas quando há necessidade, normalmente quando os freios estão prestes a travar e, por isso, talvez nunca seja possível saber quando ele entra em ação. No entanto, em caso de frenagens intensas, o sistema pode reagir de acordo e, quando é ativado, é normal que haja vibração na motocicleta acima do comum e, por isso, a Harley-Davidson recomenda a prática de frenagens bruscas em linha reta e em um espaço aberto e seguro para que sejam sentidas as reações da motocicleta nesta situação.

Além disso, pilotos iniciantes devem saber que os freios ABS não substituem uma boa técnica de frenagem. Por isso a Harley Davidson estimula a constante prática das habilidades, sabendo que os freios ABS atuarão ajustando a combinação da quantidade de força de frenagem aplicada, bem como a velocidade da moto, para alcançar um equilíbrio de frenagem mais otimizado em uma situação de parada de emergência.

GOSTOU DA REPORTAGEM? TEM MAIS AQUI!!

 

Fonte: Printer Press