Harley Fat Bob, cara e preço de moto exclusiva

Ao encostar a nova Harley-Davidson Fat Bob na entrada de um estacionamento, o funcionário me pergunta:

 "Bonita essa moto, foi você quem customizou?". Em poucas palavras, o rapaz resumiu a intenção da fábrica americana na reestilização para a linha 2014: deixar a moto com cara de unidade exclusiva, feita sob medida.

 

O preço também foi atualizado e subiu de R$ 43.200 para R$ 45.900 -- na cor Vivid Black, o preto sólido tradicional da marca. Se escolhida uma das três outras opções, Black Denim (preto fosco), Amber Whiskey (tom de marrom) e Sand Cammo Denim (bege), ela sai por R$ 46.250.

 

As mudanças começam pelas rodas usinadas em alumínio: sai o visual de aço escovado, entra a pintura preta com a inscrição a laser "Harley-Davidson" nas bordas do aro. Os amortecedores bichoque também ganharam cobertura preta, assim como a tampa da bateria, à direita da moto, e o motor V2 Twim Cam 96.

O conjunto óptico com dois refletores, marca registrada da Fat Bob, recebeu aro preto na borda, e as braçadeiras do garfo dianteiro foram escurecidas. Até o logotipo "barra e escudo", típico da Harley, sofreu alterações e agora está pintado em duas faixas, que variam de cor dependendo da versão.

Na traseira, para-lama encurtado e lanterna formada por dois círculos de LED com cobertura plástica definem o estilo. Já a dupla saída de escapamento, mais curta, é uma das únicas peças que manteve o acabamento cromado.

CARA DEMAIS PELA ESTÉTICA

Em geral, a Fat Bob é uma boa motocicleta, pois faz exatamente aquilo a que se propõe. É uma pena que, para se ter acesso a ela, seja preciso pagar um preço tão salgado.

Afinal, as novidades para a linha 2014 no Brasil foram apenas estéticas que não justifica o aumento em relação ao modelo anterior. Enquanto isso, nos Estados Unidos, a família Dyna já está equipada com o novo motor Twin Cam 103...

MOTO COM ATITUDE

No mais, a Fat Bob manteve o visual de moto dos anos 1950, com pneus largos (130 mm na frente e 180 mm atrás), posição de pilotagem relaxada e guidão dragnar fixado ao canote. Os comandos avançados jogam as pernas bem para frente e o banco, com nova cobertura perfurada, ficou mais cavado, com melhor apoio à lombar e reforçando o apelo de uma moto de lazer.

De fato, todas essas mudanças deixaram a Fat Bob com cara de moto customizada, e seu estilo dark atrai olhares por onde passa. É um modelo que vem para agradar jovens em busca de uma moto com atitude, mas ao mesmo tempo mais versátil que as enormes Touring e com melhor desempenho que a linha Sportster. Além de "ser uma Harley", o que para muitos justifica o alto preço cobrado.

Fonte: Arthur Caldeira - Infomoto